Tag Archives: carne de panela

Receita da Semana: Carne de Panela

14 ago

Os que visitam o blog diariamente devem ter notado que ontem não teve post. Eu ia dar dicas de presentes e o que fazer no Dia dos Pais que são gente da gente e que apreciam o bem viver, o bem beber e o bem comer. Mas passei o dia numa alergia lazarenta e a única coisa que eu consegui fazer foi espirrar eternamente. Ou seja: perdi o sábado.

Esse post também era pra sair antes da hora do almoço, mas quem acorda cedo dia de domingo merece uma surra. =p Então, como hoje é o dia dos nossos velhinhos, que tal agradar eles com uma comida MA-RA-VI-LHO-SA pra fazer eles lhe amarem mais ainda? Eu sei que é quase de noite, mas rola fazer pro jantar kkk. E seu papis vai ficar tão satisfeito com essa delícia que vai dormir orgulhoso de ter você como filho/filha. Tá achando que é exagero? Basta eu dizer que eu sou fresca pra c@$#&(* pra comer e essa foi DE LONGE a melhor carne de panela que eu já provei. :~

O MILAGRE DA VIDA.

#CARNE DE PANELA#

Ingredientes:

 – 1/2kg de fraldinha ou coxão mole cortado em cubos (eu usei 1/2kg porque sou só eu e meu namorado)

 – 1 cebola média picada

– 1 tomate grande picado

– 2 dentes de alho amassados

 – 4 batatas médias em cubos

 – coentro picado :~

 – sal, pimenta do reino, louro em pó

 – 2 cubos de caldo de carne

 – óleo de soja

 – água

Modo de Preparo:

Numa panela de pressão, coloque o óleo (cerca de meia xícara) e coloque a cebola e o alho. Deixe a cebola ficar transparente e ponha a carne. Tempere a carne com sal, pimenta e um pouco do louro em pó. Sele a carne dos dois lados, coloque o tomate e deixe o tomate murchar.

*Dica: é bom salgar a carne já na panela pra ela ficar suculenta. Se colocar os temperos antes, o sal absorve a água da carne e deixa ela seca.

Quando a carne começar a soltar ‘água’, deixe secar um pouco por 5 minutos e depois coloque meio litro de água. Jogue um cubo de caldo de carne , mexa pra dissolver o cubo e coloque a tampa. Deixe na pressão por uns 30/40 minutos. Na verdade a média de tempo é esse, porque eu não fico olhando relógio não. =p

Depois disso, desligue o fogo e deixe a pressão sair. Quando você abrir a panela vai achar que deu merda (como eu achei)mas tenha fé: aqui vem a segunda parte. Junte mais meio litro de água, as batatas e regule o sal. Mexa um pouquinho pra desgrudar o queimadinho da panela – é ele quem vai dar o CHABLAU no gosto do negócio -. Agora é só acrescentar o coentro, esperar a batata cozinhar no molho, deixar o caldo secar um pouco e ser: feliz.

Essa porção dá pra dois famintos vikings-escandinavos-pós-guerra como meu namorado/marido e eu. E também é uma das melhores comfort-food que eu já experimentei na vida. Por isso serve não só para orgulhar seu papai (e encher a pança dele) como para comer junto com a galera antes da manguaça, preparando o estômago pro que der e vier.

Acompanha arroz branco. E um vinho tinto de boa qualidade.

Meu velho já está com Papai do Céu, mas tenho certeza que ele (do jeito que gostava de comer! ) ia lamber os dedos. Que Deus o tenha. Mas os parabéns mesmo vai pra Dona Edna, a pãe mais guerreira que já conheci. E para Paulo Teles, o futuro (beeeeeeem futuro) pai do meu filho/filha. :)

Feliz Dia dos Pais! :D

Anúncios

Reflexão, Centro de São Paulo, cervejaria e gostinho de infância

6 ago

Semana passada, em um dos meus dias de reflexão solitária, fui passear pelo Centro de São Paulo. Andei por toda a Sé, região do Teatro Municipal, Vale do Anhangabaú. E enquanto me admirava com os prédios antigos, pensava no quanto de almas já tinham passado por ali e quantas delas não foram à Sampa em busca dos seus sonhos. Foi quando subi uma linda ladeirinha em direção ao Pátio do Colégio, Marco Zero da cidade e lugar que preserva um pouco da história de SP. E me deparei com uma cervejaria linda chamada São Jorge.

Fachada da Cervejaria

:~

Em frente, uma engraxataria à moda antiga.

Coreto em frente à Cervejaria.

Mesinhas do lado de fora. Cafés da Europa feelings.

De tão admirada que fiquei com a beleza do lugar, decidi ficar para ver o que de bom a São Jorge tinha para oferecer. Cheguei por volta das 17h e a casa estava se arrumando para receber os grandes empresários que trabalham logo em frente. É que do outro lado da praça fica a Bolsa de Valores de SP.

Telefone da década de 40! :O

Paredes enfeitadas com um monte de coisa antiga e que remete à boemia entre as décadas de 20 e 70.

Olha esse rádio! Olha essa marca de refrigerante antigo! :~

Máquina registradora e de datilografia da época da Segunda Guerra! :~

Rótulos antigos das cervejas mais tradicionais do Brasil. :~

O balcão! :~

E esse piso, VÁÁÁÁÁÁ! :~

Andar de cima, onde rolam as apresentações de samba, bossa nova e jazz em alguns dias da semana.

Painel, em frente ao banheiro, com todos os Jorges da boemia brasileira.

Pelo número de fotos, não precisa nem comentar o quanto eu fiquei fascinada pela vista do lugar, né? Quem decorou a Cervejaria São Jorge além de ter MUITO BOM GOSTO, sinceramente, ainda sabe como agradar as vistas e o ego de um bom boêmio como a #CachaceiraSafada aqui. Dá para sentir o carinho da colocação de cada coisa, o capricho com que o lugar foi arrumado.

Preferi sentar lá fora. Olhar aquele pôr do sol, escutar aquele jazz ao fundo, sentada naqueles banquinhos de madeira em frente ao coreto… me fez pensar que um dia eu vou querer visitar esses bares que tanto vejo nos filmes que retratam a boemia da Europa. Achei o lugar mágico e tratei logo de pedir uma cerveja para relaxar e viajar nas idéias. Que veio dentro de um balde de gelo e achei isso de muito bom gosto. Sua cerveja nunca esquenta.

Balde de gelo para manter a breja sempre no ponto = AMOR.

Além da cerva sempre gelada, lá eles oferecem três tipos de chopp, as marcas nacionais mais tradicionais e algumas marcas de cervejas importadas da Alemanha, Bélgica e Uruguai (só 3 tipos? ponto negativo). Os preços nacionais estão na média de 7 dinheiros e das gringas estava chegando a 18 dinheiros. Lá também rola um tal de ‘Clube do Whisky’, onde o grupo pode comprar uma garrafa (ou várias) e bebericar à vontade, num período de até 3 meses, chegando a custar 950 pilas esta ‘participação’. Os vinhos são variados e acabei não vendo direito a maioria deles, mas notei que as taças variam entre 14 e 76 mangos. As cachaças acabei não prestando atenção. Já os drinks são um espetáculo à parte. Apesar de serem um tanto ‘caros’ (entre 13 e 20 reais a dose), só o visual vale a pena. Não cheguei a experimentar mas, só de ver o capricho, já me deu água na boca. Em cada um eles colocam um tipo de ‘picolé’ para dar cremosidade à bebida. Próxima vez eu tomo o Dry Martini Zest Lemon que me indicaram (feito com gin tanqueray, vermute seco moilly prat, azeitona verde e zest limão).

Lá também é restaurante e serve na hora do almoço mas, eu queria era saber dos petiscos. E um, em especial, tocou meu coração: a Carne de Panela. Minha avó quando eu era guria fazia essa carne no almoço de domingo e eu quase choro quando o prato chegou. Custa 28 reais, acompanha farofa, pães frescos e uma cerveja. Dá para duas pessoas ficarem FELIZES.

Gosto de infância e da comida de voinha. :~

A hora do rango é a hora mais feliz!

Aqui deixo registrado a atenção dada aos clientes. Meu copo não ficou vazio um só instante e até o dono passou na minha mesa para me cumprimentar. Se eu já tava emocionada por causa da carne de panela, imagine o dono vindo na minha mesa?  :~

O bar tem somente 5 anos de vida mas, um público fiel. Os preços são um tanto altos mas, valem a pena. O atendimento é fantástico, a comida é maravilhosa, a bebida um espetáculo, a cervejaria é linda e tudo é lindo quero a São Jorge pra mim! kkk RECOMENDADÍSSIMA!

Local: Cervejaria São Jorge

Endereço: Centro de São Paulo, perto do Largo São Bento, em frente à BOVESPA.

Site: http://cervejariasaojorge.com.br

Horário de atendimento: Segunda à sexta: das 11h30 às 23h. Aos sábados: das 11h30 às 18h30.