Tag Archives: bom atendimento

Reflexão, Centro de São Paulo, cervejaria e gostinho de infância

6 ago

Semana passada, em um dos meus dias de reflexão solitária, fui passear pelo Centro de São Paulo. Andei por toda a Sé, região do Teatro Municipal, Vale do Anhangabaú. E enquanto me admirava com os prédios antigos, pensava no quanto de almas já tinham passado por ali e quantas delas não foram à Sampa em busca dos seus sonhos. Foi quando subi uma linda ladeirinha em direção ao Pátio do Colégio, Marco Zero da cidade e lugar que preserva um pouco da história de SP. E me deparei com uma cervejaria linda chamada São Jorge.

Fachada da Cervejaria

:~

Em frente, uma engraxataria à moda antiga.

Coreto em frente à Cervejaria.

Mesinhas do lado de fora. Cafés da Europa feelings.

De tão admirada que fiquei com a beleza do lugar, decidi ficar para ver o que de bom a São Jorge tinha para oferecer. Cheguei por volta das 17h e a casa estava se arrumando para receber os grandes empresários que trabalham logo em frente. É que do outro lado da praça fica a Bolsa de Valores de SP.

Telefone da década de 40! :O

Paredes enfeitadas com um monte de coisa antiga e que remete à boemia entre as décadas de 20 e 70.

Olha esse rádio! Olha essa marca de refrigerante antigo! :~

Máquina registradora e de datilografia da época da Segunda Guerra! :~

Rótulos antigos das cervejas mais tradicionais do Brasil. :~

O balcão! :~

E esse piso, VÁÁÁÁÁÁ! :~

Andar de cima, onde rolam as apresentações de samba, bossa nova e jazz em alguns dias da semana.

Painel, em frente ao banheiro, com todos os Jorges da boemia brasileira.

Pelo número de fotos, não precisa nem comentar o quanto eu fiquei fascinada pela vista do lugar, né? Quem decorou a Cervejaria São Jorge além de ter MUITO BOM GOSTO, sinceramente, ainda sabe como agradar as vistas e o ego de um bom boêmio como a #CachaceiraSafada aqui. Dá para sentir o carinho da colocação de cada coisa, o capricho com que o lugar foi arrumado.

Preferi sentar lá fora. Olhar aquele pôr do sol, escutar aquele jazz ao fundo, sentada naqueles banquinhos de madeira em frente ao coreto… me fez pensar que um dia eu vou querer visitar esses bares que tanto vejo nos filmes que retratam a boemia da Europa. Achei o lugar mágico e tratei logo de pedir uma cerveja para relaxar e viajar nas idéias. Que veio dentro de um balde de gelo e achei isso de muito bom gosto. Sua cerveja nunca esquenta.

Balde de gelo para manter a breja sempre no ponto = AMOR.

Além da cerva sempre gelada, lá eles oferecem três tipos de chopp, as marcas nacionais mais tradicionais e algumas marcas de cervejas importadas da Alemanha, Bélgica e Uruguai (só 3 tipos? ponto negativo). Os preços nacionais estão na média de 7 dinheiros e das gringas estava chegando a 18 dinheiros. Lá também rola um tal de ‘Clube do Whisky’, onde o grupo pode comprar uma garrafa (ou várias) e bebericar à vontade, num período de até 3 meses, chegando a custar 950 pilas esta ‘participação’. Os vinhos são variados e acabei não vendo direito a maioria deles, mas notei que as taças variam entre 14 e 76 mangos. As cachaças acabei não prestando atenção. Já os drinks são um espetáculo à parte. Apesar de serem um tanto ‘caros’ (entre 13 e 20 reais a dose), só o visual vale a pena. Não cheguei a experimentar mas, só de ver o capricho, já me deu água na boca. Em cada um eles colocam um tipo de ‘picolé’ para dar cremosidade à bebida. Próxima vez eu tomo o Dry Martini Zest Lemon que me indicaram (feito com gin tanqueray, vermute seco moilly prat, azeitona verde e zest limão).

Lá também é restaurante e serve na hora do almoço mas, eu queria era saber dos petiscos. E um, em especial, tocou meu coração: a Carne de Panela. Minha avó quando eu era guria fazia essa carne no almoço de domingo e eu quase choro quando o prato chegou. Custa 28 reais, acompanha farofa, pães frescos e uma cerveja. Dá para duas pessoas ficarem FELIZES.

Gosto de infância e da comida de voinha. :~

A hora do rango é a hora mais feliz!

Aqui deixo registrado a atenção dada aos clientes. Meu copo não ficou vazio um só instante e até o dono passou na minha mesa para me cumprimentar. Se eu já tava emocionada por causa da carne de panela, imagine o dono vindo na minha mesa?  :~

O bar tem somente 5 anos de vida mas, um público fiel. Os preços são um tanto altos mas, valem a pena. O atendimento é fantástico, a comida é maravilhosa, a bebida um espetáculo, a cervejaria é linda e tudo é lindo quero a São Jorge pra mim! kkk RECOMENDADÍSSIMA!

Local: Cervejaria São Jorge

Endereço: Centro de São Paulo, perto do Largo São Bento, em frente à BOVESPA.

Site: http://cervejariasaojorge.com.br

Horário de atendimento: Segunda à sexta: das 11h30 às 23h. Aos sábados: das 11h30 às 18h30.

Anúncios

Sono, entrevista de emprego, cerveja gelada e pouco dinheiro

28 jul

Nesta última quarta feira, dia 27, eu tive uma entrevista de emprego lá na Barra Funda para uma vaga de ‘assistente de campanhas online’ em um instituto. É meio que um trabalho de marketing junto a social media, web writer, promotora de eventos e assessoria. Enfim, algo que eu gosto bastante de fazer. Como aqui em SP eu ainda não sei andar direito por estar morando há pouco tempo, sempre acabo recorrendo ao Google Maps. Que me salva, na maioria das vezes mas, me faz andar absurdos. Ou seja: em um caminho que eu poderia fazer num só coletivo, ele me faz pegar um metrô, dois trens e três ônibus. E isso resulta em sair de casa 3 horas antes do horário marcado e ficar morrendo de sono e de fome o dia inteiro.

A entrevista era às 11h e saí de lá por volta do 12h. OU SEJE: almoço à vista. Na região por onde eu fui é perto do Parque Água Branca e, pelo que pude perceber, um lugar de gente que tem grana. OU SEJE: os míseros dinheiros que eu tinha não iam me render nem um PF. Niqui penso eu então: “Perto de casa é mais barato, vou comer é por lá mesmo. E de quebra, ver se tem algum aperitivo que me interesse pra abrir meu apetite.” Parei no Restaurante Santa Ângela.

Restaurante Santa Ângela: a fachada não tem nome.

Apesar de cheio (ô, horário da bóia, queria o quê?), fui muito bem recebida. Logo um garçom veio me oferecer uma mesa e mostrar o cardápio. Eu tinha a opção de pedir ou os pratos do dia ou fazer o pedido a la carte. Olhei ao redor e vi muitos funcionários, cerca de 14 ou 15, fazendo o almoço e servindo. Educação e rapidez. Gostei. E como eu não ia fazer mais nada no resto do dia a não ser estudar, me dei ao desfrute de pedir uma cerveja. Que veio trin-can-do. Ponto mais que positivo! :)~

Cerveja saída do 'cu da foca' pra abrir o aperite. *__*

Só não gostei de beber cerveja num copo de vitamina. =p

Pratos do dia. :)

Restaurante cheio e gente esperando na fila.

Os preços são bastante acessíveis e você pode comer bem, como foi o meu caso, por até R$7,50. A porção dá pra duas pessoas de apetite MODERADO tranquilamente. Como eu falei antes, estava sem muito dinheiro e comi o básico ‘arroz + feijão + frango’. E ainda sobrou bastante. A comida é OK.

Pena que não tinha opção de meia porção.

Meu prato pedreragi. NHAM! :)~

O desperdício. :(

O lugar é tão acessível e limpo que pessoas de várias classes sociais almoçam lá. Encontrei até um grupo de senhoras chiques dividindo a refeição na mesa ao lado.

As véia rica também são gente da gente! kkk

Depois do almoço fui dar uma folheada no cardápio pra ver as opções de bebida e me deparei com algo muito curioso. Logo, fui perguntar ao garçom o que era. A galera aqui toma ‘Caracu com ovo”. Isso mesmo, amiguinhos cachaceiros e cachaceiras. A cerveja preta Caracu, batida com ovo, no liquidificador (com casca ou sem casca). Segundo o garçom, tem muita saída por ser ‘energético’. Não, obrigada.

Uma palavra define: ECA.

No restaurante, as cervejas – como eu já falei – saem trincando. E os preços são bem bons em relação a outros lugares. A Heineken (600ml) e a Antartica Original, por exemplo, saem a R$5,40. Já as tradicionais Brahma e Skol, a R$4,90. Ponto positivo. O copo de suco sai entre R$3,80 e R$4,60 e depois perguntam porque eu prefiro tomar cerveja. O refrigerante de ouro fica na mesma faixa do suco. Já as doses de conhaque, vinho, cachaça e similares não tinham o preço no cardápio. Se eu quisesse tomar uma, que perguntasse no balcão. Ponto negativo. Também vi um vinho caseiro das trevas lá, mas o local estava tão cheio e o dono tão ocupado, que nem quis me arriscar.

Bebidas sem o preço no cardápio. Servidas somente no balcão.

Vinho caseiro. Quem se arrisca?

O Restaurante Santa Ângela ainda tem a lanchonete bem ativa na parte da manhã e da noite pra o pessoal que não tem tempo de tomar café em casa. Lá abre 6h da matina e fecha às 22h. Seu Carlos Ferretti, o dono que também faz as honras de garçom, falou que é assim desde 1968.

No final das contas tudo custou R$13,40, eu saí satisfeita. Lugar aprovado e recomendado. :)

Endereço: Avenida Liberdade, 1082. Em frente ao Metrô São Joaquim, Liberdade.

Contato: restaurantesangela@terra.com.br

Site: Não tem.

Fome, frustração, double chopp e pizza

27 jul

Eu queria ter ido num lugar foda  todo cheio de pompa e salamaleque para abrir o blog com chave de ouro, aquelas fotos PO-CAN-DO de bonita, mas como eu tô pobre já estava agoniada pra começar a postar. E como hoje à noite eu estava morrendo de fome e cansada do gosto da minha própria comida, decidi ir num lugar aqui perto de casa pra comer algo diferente. Lugar escolhido: Boteco São Joaquim. Primeira vez que entrei, apesar de passar em frente quase todos os dias.

Atualmente estou morando na Liberdade, próximo ao Metrô São Joaquim, que dá nome ao lugar. Aberto só há quatro meses, ele fica na Rua Taguá, uma das ruas mais movimentadas pelos universitários ( já que várias faculdades ficam localizadas na região). O ambiente é legal, com decoração de coisas do futebol das décadas de 50/60/70 e coisinhas retrô (como fotos antigas do bairro e azulejos usados no começo do século). Uma coisa bem aconchegante, limpo e organizado, com música no volume agradável. Importantíssimo pra quem também quer conversar sem ficar gritando.

Tá vazio porque é período de recesso nas universidades.

Balcão legal, na altura ideal pra ver a cozinha, que é aberta e dá pra ver a galera cozinhando.

Adoro banquinhos e a possibilidade de sentar próximo ao balcão pra trocar idéia com o garçon. Só pra fazer amizade e tomar umas de graça! #cachaceirasafada kkk

Cartaz da Copa de 50.

Foto do Bairro Liberdade no começo do século XX.

Mural de azulejos rococó em frente aos banheiros.

Eu falei do ambiente agradável, falei da cozinha limpa e falar das bebidas KD. Vamos lá: pra um boteco achei que deixou a desejar no quesito CERVEJA. Como deu pra perceber pelo layout do blog, sou uma boa consumidora do suco de cevadis e gosto de ter opções quando vou a um lugar (apesar de sempre acabar pedindo a mesma marca).  Só tinha chopp Brahma, cerveja sem álcool (sei lá que marca) e Bohemia escura. Mas como tudo no mundo é baseado na Lei da Compensação, o cardápio de bons drink estava recheado de opções. Umas até que eu nunca tinha visto na vida, como a Sakerita (um tipo de Marguerita, só que com sakê). Se presta, só deus sabe. O preço dos vinhos me assustou, com doses absurdamente caras (chegando a R$45,00 uma taça que eu não vou lembrar de qual).

Fiquei no chopp mesmo. Que não tava ‘recém saído do cu da foca‘ como eu gosto, mas estava bebível. E na promoção: Double Chopp, de segunda à sexta, das 17h às 20h = R$5,40. #ficadica

DENÚNCIA: BOTECO QUE VENDE SÓ DOIS TIPOS DE CERVEJA E UM TIPO DE CHOPP! #polêmica

Só tenho uma coisa a dizer: XIBOQUINHA.

A taça de vinho que custa uma garrafa do mesmo no supermercado Extra.

Double Chopp a R$5,40 = pedacinho do céu. Bebi só dois e fiquei sorrindo à toa. kkk

Os petiscos e lanches de lá tinham uma cara muito boa pelo cardápio e um preço razoável. Mas eu e meu digníssimo namorado/marido queríamos sustância e acabamos não pedindo nada. É que lá no Boteco São Joaquim, comida MESMO só no almoço (das 11h30 às 15h).  E pelo que o simpático garçom Marcos me falou, é tudo bem caprichado e à moda brasileira, com preços que variam entre R$12 e R$17 reais.

Simpático Marcos servindo meu chopp. :)

Não comemos nada mas, apesar de alguns pontos fracos (até porque o lugar é novo, tá tomando forma ainda), saí de lá sentindo vontade de voltar para rever meus conceitos.

Ah! Rodamos demais sem saber onde chocar o ovo, acabamos no Habib’s pedindo pizza e levando pra casa. É a vida. kkk

Final feliz com refeição nada saudável = ME GUSTA.

Endereço: Boteco São Joaquim: Rua Taguá, 16. Liberdade.

Telefone: (11)3208-2329

Site: http://botecosaojoaquim.com.br