Filosofia de Boteco: Alta Social Media

23 ago

Como falei para vocês logo no começo dessa minha saga alcoólica bloguística, a intenção aqui é postar sobre vários assuntos que dizem respeito ao bom beber e ao bom viver (na visão de uma mulher). Ser #cachaceirasafada é apreciar o que tem de bom na boemia, um estilo, é fazer parte da vida inteligente entre um gole e outro. Por isso, todas as terças aqui no blog, teremos a Filosofia de Boteco. Um dia para que falemos sobre assuntos variados, que a gente costuma conversar descontraidamente com os amigos, nas mesas de bar.

Na semana passada aconteceu aqui em São Paulo (capital) um dos maiores eventos sobre Social Media do Brasil atualmente: o YouPix. Sexta edição, trazendo várias personalidades da internet como blogueiros, twiteiros e gente que usa as redes de relacionamentos não só para fazer e manter amizades, mas para network e, PRINCIPALMENTE, aparecer. Fui lá para apresentar à blogosfera este humilde blog alcoólico de pretensões humildes.

Egosfera reunida. :)

Um dos debates me chamou bastante atenção: o Tribunal de Pequenas Causas Wébicas. Nele, pessoas como a jornalista Rosa Herman, o criador do #Lingerieday @gravz e o publicitário Luiz Yassuda julgaram vários assunto, junto com a platéia, do que seria pertinente ou não na internet e nas redes sociais. Foi quando surgiu o assunto da “orkutização no Facebook” e deram espaço para pessoas do baixo clero da social media. Eis a minha chance e subi ao palco para opinar e fazer um jabá do #CachaceiraSafada.

Pessoas que eu não conheço falando coisas engraçadinhas. :) (foto: Youpix)

Meus 15 segundos de fama internética. (foto: Youpix)

Maldita hora em que eu fui ser honesta quando me perguntaram “se eu era a favor ou contra a orkutização das redes sociais”. Oras boletas! Gente,a maioria dos brasileiros aprendeu a usar rede social com o Orkut! Todo e qualquer comportamento que nós tenhamos na internet, vai ser baseado nisso e os sites de relacionamento sempre serão espelho. Mas esse negócio de “orkutização” (vulgo entrada da classe C,D e E no meio digital) parece aquele papo de indie: quando a coisa se populariza, ela não presta mais; deixa de ser cool e vira ‘do povão’.

Minha cara de arrependimento e de que era melhor ter sido engraçada do que ter opinião.

Mencionar o Youpix foi somente um exemplo para falar sobre a atitude dos paladinos das regras de uso das redes. Aquele seu amigo que hoje renega a o seu convite de Mafia Wars no FB com certeza já teve um Buddy Poke com o qual se divertia fazendo dancinha marota com os amiguinhos e o Papai Noel no Orkutchi. O perfil que tem 30 mil followers no Twitter ri da cara de uma mina da Zona Leste que escreve “nóis vai ver o jogo do Curintia“, mas se junta com os amigues para encher o trending topics de assuntos que passam na TV aberta como o final da novela Insensato Coração. Essa é a Alta Social Media, que se coloca acima do bem e do mal, mas no final das contas come Windows 7 e arrota MacOS.

E vocês, o que acham?

5 Respostas to “Filosofia de Boteco: Alta Social Media”

  1. Marivone Vieira 24 de agosto de 2011 às 4:51 PM #

    Rapaz, a última foto nem precisava de legenda. É que sozinha ela resume toda a situação e o universo em que tu se encontrava. O povo do “cheguei primeiro” na net é como essa menina a seu lado. Se pinta de indie, alternativo e revolucionário, mas gasta mais de um zilhão de reais para parecer desalinhado, pouco se lixando pra democratização de qualquer coisa. Na verdade, são uns retrógrados enrustidos que só querem que o povo (aí, sim, de todas as classes) visite seus blogs pro $$$ rolar solto.

    Affff…

    A blogosfera virou a jabosfera há séculos.

    Concordo: “Só acho que esse negócio de alto clero e baixo clero é só mais um reflexo do que socialmente sempre vai continuar existindo: castas”. (2x)

  2. Flávia Sofia 24 de agosto de 2011 às 3:40 PM #

    Pelo menos nas mesas de bar por onde eu tenho escutado opiniões sobre esse pertinente debate, as pessoas têm falado sobre o “mau uso” da rede. Acho que precisamos aqui definir sobre o que queremos dizer com ‘orkutização’. A impressão que eu tenho é que o uso do Facebook tem sido corrompido pelo desconhecimento das ferramentas. Exemplo: Mandar mensagem ‘inbox’ pedindo pra curtir uma página; ou criar um evento pra divulgar uma promoção. Isso incomoda MUITO, e, pra mim se caracteriza como uma invasão à minha tranqüilidade… ficar recebendo atualizações inúteis é no mínimo um pé no saco. Talvez eu não tenha ‘fuçado’ o suficiente pra aprender a me defender dessas abordagens, bloqueando essas atualizações que não quero receber, mas talvez falte mesmo bom senso nas pessoas. Quem nunca adicionou alguém por educação e ficou p. com as atualizações da pessoa que atire a primeira pedra!

    Venhamos e convenhamos, os ‘facemaníacos’ – ou aqueles que não querem que o Facebook se popularize -, usam, exaltam e ainda contribuem para a evolução de novas ferramentas. Isso é bom.

    Quem faz a rede são os usuários, sem dúvida. Acho o termo ‘orkutização’ preconceituoso quando se relaciona com a chegada das classes C, D, e E na (A!) rede social, mas confesso que fico fula da vida com esse excessos, brilhinhos, joguinhos, carinhas, e frescurinhas.

    Pseudo-Indie.

    • cachaceirasafada 24 de agosto de 2011 às 4:14 PM #

      Acho que o mau uso da rede é a falta de bom senso. Mas bom senso e verdade são coisas relativas. O brilhinho do recado, o enjoo do convite privado e as insistentes atualizações podem não interessar para uns, mas para outros fazer o maior sucesso. O que eu entendo é que a gente escolhe o que quer ver na internet, mesmo que a educação do follow o ‘obrigue’ a isso. Eu acho que a internet se torna melhor a partir do momento onde as ferramentas ficam mais acessíveis e não mais elitizadas ou com normas de condutas escritas como receita de bolo.

      Eu entendo perfeitamente o que vc está dizendo e concordo em vários pontos. Só acho que esse negócio de alto clero e baixo clero é só mais um reflexo do que socialmente sempre vai continuar existindo: castas. E pessoas que se acham no direito de ditar regras só porque a forma como as outras pessoas agem não lhe agrada.

  3. Daniela Reis 24 de agosto de 2011 às 7:25 AM #

    Concordo com Erick, eles reclamam da popularização do facebook e afins, mas esqueçem que para o povo cresçer em mentalidade devee ser apresentado a novas ideias, além do fato do criador do face estar cagando e andando para esses pseudo-indie.

  4. Erick Mendonça 23 de agosto de 2011 às 3:15 PM #

    Parabéns por ter falado algo contrário ao rebanho lá no Youpix! Esse mimimi ao redor da popularização de qualquer coisa ser maléfica é um saco.

Apreciando sem moderação!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: